Como criar uma profecia autorrealizável

Como criar uma profecia autorrealizável

Compartilhar:

O empresário, à frente do Grupo Gaia, levará os funcionários à Disney após bater a meta da empresa

Estamos no fim de 2019 (sim, entre na brincadeira comigo) e, na virada do ano passado, li em A Tal Felicidade, na Vejinha, um artigo que falava sobre como criar uma profecia autorrealizável.

Lembro que, no começo, não estava entendendo muito bem, achei que tinham errado o ano e que o próprio artigo poderia ser essa profecia, mas ao continuar a leitura do texto fui interagindo mais, criando minhas metas e agora estou aqui, feliz com o que vivi neste ano.

Por que ter metas? 

Segundo a pesquisadora Sonja Lyubomirsky, pessoas que se esforçam por alcançar metas significativas para elas, seja aprender algo novo, seja trocar de carreira ou mesmo educar os filhos, são mais felizes do que aquelas que não têm grandes sonhos. “Se não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”, disse o Gato de Cheshire em Alice no País das Maravilhas.

Portanto, o primeiro passo é definir aonde queremos chegar neste ano.

De nada adianta, porém, definir metas que não nos façam bem. A ciência confirma a frase dita pelo comediante Jim Carrey: “Acho que todo mundo deveria ficar rico e famoso. E então perceberão que essa não é a resposta”, pois fama e riqueza são metas extrínsecas, isto é, metas externas, que estamos propondo mais para mostrá-las aos outros do que para nós mesmos.

Para este ano, vamos fazer uma lista diferente, com três categorias de meta:

1 > Que experiências você quer ter? 

Viajar, pegar os filhos na escola com mais frequência, sair com os amigos uma vez por semana. Liste até sete experiências.

2 > Que habilidades você quer desenvolver ou melhorar? 

Aprender uma nova língua (nunca é tarde), escrever textos ou poemas, tocar um instrumento, fazer um curso que não tenha nada a ver com a sua formação. Liste três habilidades.

3 > Que legado você quer deixar? 

Que tal ser aquela pessoa que deu ouvido àquele amigo que tanto precisava, que se dedicou a um trabalho voluntário, que educou os filhos pelo exemplo?

Desta forma, a motivação será mais forte: em vez de fazer regime para se ver no espelho, você vai se dedicar a uma alimentação mais saudável, pois quer dar um exemplo a seus filhos ou ter uma experiência esportiva com mais qualidade.

Ter comprometimento com a meta nos dá um senso de propósito e de controle sobre nossa vida. Isso é especialmente importante para pessoas que estão aposentadas, que não têm mais o trabalho como fonte de sentido. Assim, você pode decidir aprender algo novo, fortalecer amizades, participar de eventos culturais ou mesmo trabalhar de forma voluntária.

Atingir os objetivos é um estímulo para o nosso bem-estar e autoestima.

Definidas as metas, é hora de comprometer-se com amor e paixão. Você precisará de disciplina, dedicação e até algum sacrifício pessoal, por isso fomente o entusiasmo e o brilho no olhar para no fim do ano que vem lembrar-se deste artigo como uma profecia autorrealizável muito feliz.

(*) João Paulo Pacifico Empresário à frente do Grupo Gaia, ele realizou algumas profecias com sua equipe. Um exemplo: traçou metas que foram alcançadas coletivamente, e em fevereiro todos os funcionários farão uma viagem comemorativa à Disney.

https://vejasp.abril.com.br/

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *