Recebi um feedback negativo, como lidar com isso?

Recebi um feedback negativo, como lidar com isso?

Compartilhar:

A crítica construtiva é um ingrediente importante para o desenvolvimento pessoal e profissional. Quer venha do seu chefe, de colegas, subordinados, quer venha do seu mentor ou coach, ser receptivo ao feedback é essencial.

Com certeza você já leu a respeito ou mesmo fez algum treinamento de como dar feedback. Porém, acredito que ninguém tenha lhe ensinado como receber feedback. E ambos, dar e receber feedbacks são importantes faces de uma mesma moeda.

Por essa razão e por constatar a dificuldade de muitos dos nossos clientes em lidar com feedbacks que resolvemos abordar neste artigo esse lado menos tratado.

Provavelmente, no seu escritório de advocacia ou departamento jurídico você também conheça alguns ou vários colegas que não sabem receber bem um feedback. Na verdade, a maioria de nós não gosta de ouvir alguém dizer que não estamos nos saindo bem ou fazendo a coisa certa. Adoramos receber feedbacks desde que sejam positivos. E quando não são, não somos tão receptivos assim…

Vamos ser honestos, a crítica dói. Da boca para fora podemos dizer que desejamos receber um feedback, mas na verdade não estamos abertos para ouvi-lo, especialmente se for “negativo”, apontar os aspectos que devemos melhorar, mudar ou eliminar. O que realmente queremos é ser apreciados, queridos, nos encaixar e ver nosso chefe nos considerando o máximo.

Quando recebemos comentários com os quais não concordamos, a tendência é nos defendermos, nos explicarmos, darmos desculpas, tentar invalidá-lo, desqualificá-lo, negá-lo, ofender-se e muitas vezes se ressentir com a pessoa que está dando o feedback.

Por que é tão difícil para a maioria de nós aceitar um feedback? A neurociência explica o porquê de nossa reação emocional e às vezes, irracional ao feedback crítico, aquele com o qual não concordamos ou não queremos ouvir. Nosso cérebro primitivo, mais especificamente na amígdala, o centro do medo, percebe o feedback como uma ameaça e faz o possível para evitá-lo. Quando recebemos um feedback negativo, estamos, de fato, em risco, especialmente quando sentimos que nossa autoconfiança e autoestima estão sendo atacadas.

Agora que sabemos por que o feedback pode ser percebido como uma ameaça ao nosso bem-estar pessoal e que é uma resposta biológica completamente natural, o que podemos fazer para lidarmos melhor com isso?

A crítica construtiva é um ingrediente importante para o desenvolvimento pessoal e profissional. Quer venha do seu chefe, de colegas, subordinados, quer venha do seu mentor ou coach, ser receptivo ao feedback é essencial.

Então, como você pode receber feedback crítico e usá-lo para o seu crescimento profissional?

Alguma das dicas abaixo podem ajudá-lo nisso:

1. Pratique a escuta ativa

Ao receber feedback mantenha um bom contato com os olhos e uma linguagem corporal aberta – sem braços ou pernas cruzadas. Resuma ou parafraseie o que você ouviu e faça perguntas claras ao interlocutor.

2. Nunca discuta ou se justifique. Apenas agradeça

Sua tendência natural pode ser transformar suas “perguntas “esclarecedoras” em uma defesa de seu ponto de vista ou dizer ao seu interlocutor o porquê do feedback dele está errado. Argumentar, justificar sua posição ou negar os comentários são todas emoções negativas que acabam tornando a conversa mais difícil do que precisaria ser.

O problema é que, mesmo que você esteja certo e o feedback errado ou fora do contexto – defender-se envia o sinal ao interlocutor de que você não está aberto ao diálogo e nem a ouvir seus comentários. Existe apenas uma resposta apropriada à crítica construtiva e ela é um verdadeiro “Obrigada”.

É importante agradecer as pessoas que dão feedback (especialmente se você os pediu), pois dá-los nunca é fácil. Um exemplo pode ser: “Obrigada pelo feedback. Eu vou pensar sobre o que você disse. Tudo bem se eu voltar com alguma pergunta ou dúvida depois?”

3. Considere o interlocutor

Quem está lhe dando o feedback? Seu superior, colega ou subordinado? E sobre qual evento? Há momentos em que a pessoa que fornece o feedback pode ter seus próprios preconceitos, ou pode ter avaliado você apenas em determinadas situações. No entanto, você precisa fazer isso de forma cuidadosa e objetiva. Se possível com o apoio de alguém imparcial, um colega, seu coach ou mentor.

4. Avalie-o, com cuidado

Assim como você não deve rejeitar de plano o feedback, você também não deve aceitá-lo automaticamente. Avalie o feedback com calma. Tire um dia ou dois para digeri-lo. A crítica parece verdadeira? É algo que você já sabia que era uma limitação sua? Quem está dando o feedback tem credibilidade ou experiência para tal? As outras pessoas disseram coisas semelhantes a respeito de você?

5. Use-o a seu favor

Uma vez que você já tenha processado objetivamente o feedback e levado um tempinho para avaliá-lo e digeri-lo, pense em que situações ou contextos o feedback poderá ser útil para você no futuro. Se você está sendo informado de que tem excelentes habilidades de comunicação, existe uma maneira de utilizar essa força em outras áreas do seu trabalho? Se os seus slides precisam ser melhorados antes de você fazer uma apresentação, quem poderia ajudá-lo com dicas e conselhos? E não esqueça de compartilhar seu progresso com que lhe deu o feedback.

6. Seja proativo

Pedir feedback com regularidade é um ótimo hábito e facilita a aceitação do que está sendo dito. Afinal, se foi você que pediu por ele, pode se preparar com antecedência para recebê-lo. Também é importante fornecer feedback aos outros. No entanto, lembre-se de que não é porque não foi muito bem avaliado que você tem que dizer ao seu interlocutor, na sequência, a lista de tudo o que ele poderia melhorar.

Em suma, receber feedback crítico é desafiador e pode ser muito desconfortável, mas saber recebê-lo bem e aprender com ele é absolutamente essencial para o seu sucesso e crescimento como profissional. Use essas dicas e poderá utilizá-los muito bem ao seu favor.

__________

*Ana Barros é coach, advogada e sócia da Thelema Coaching para Advogados.

*Maria Olívia Machado é coach, advogada e sócia da Thelema Coaching para Advogados.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *